Defensores dos Direitos Humanos
Oscar Arias Sánchez (Nascido em 1940)

Oscar Arias Sánchez ganhou o respeito dos líderes e humanitários de todo o lado por levar a paz à América Central. Nascido em 1940, estudou nos Estados Unidos e obteve uma licenciatura em leis na Costa Rica.

Eleito presidente da Costa Rica em 1986, Arias Sánchez imediatamente notificou o mundo que tinha intenção de restaurar a paz na América Central livrando a região da Guerra Fria entre os Estados Unidos e a União Soviética. Numa série de reuniões com os presidentes da Guatemala, El Salvador, Honduras e Nicarágua, o Presidente Arias Sánchez fez pressão para resolver a desordem e pôr fim à influência externa na América Central. Finalmente conseguiu a aprovação do seu plano de paz, que exigia que cada país limitasse o tamanho dos seus exércitos, assegurasse liberdade de imprensa e realizasse eleições livres e abertas. O plano teve êxito e, com a assinatura dos acordos, a luta na região chegou ao fim.

Em 1987, o Presidente Oscar Arias Sánchez recebeu o Prémio Nobel da Paz por levar a paz para a região e usou o prémio monetário para estabelecer a Fundação Arias para a Paz e o Progresso Humano. Durante a sua presidência frequentemente aventurou–se a misturar–se com o público sem comitiva nem fanfarra para escutar as preocupações dos seus cidadãos. Após a finalização do seu primeiro mandato continuou a ser um “homem do povo”, a promover a segurança e o desenvolvimento humanos em muitas frentes. Em 2006, foi eleito novamente Presidente da Costa Rica e hoje em dia continua a defender a paz e os direitos humanos.